A Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) vota nesta terça-feira (2), em regime de urgência, projeto de lei que proíbe o porte de armas brancas no Estado do Rio de Janeiro.

terça-feira, 2 de junho de 2015


Redação Rio Alerta notícias

A Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) vota nesta terça-feira (2), em regime de urgência, projeto de lei que proíbe o porte de armas brancas no Estado do Rio de Janeiro.

De acordo com o texto do projeto, “fica proibido o porte de facas, punhal, e similares com lâminas maiores de 10 centímetros em todo o território do Rio, salvo em circunstâncias que justifiquem o uso desses objetos”.
Segundo o autor da proposta, Geraldo Pudim (PR), se aprovado o projeto, porte de arma branca será considerado infração com multa que pode variar entre 20 e 200 UFERJ (R$ 2.400 a R$ 24 mil) a critério da autoridade policial.
— Espero que o projeto seja aprovado sem grandes dificuldades. O PL 435 além de criar o ato de infração para porte de armas brancas também cria o amparo legal para que a autoridade policial possa conduzir o infrator à delegacia para uma apuração mais profunda, visto que o secretário de Segurança Pública vem justificando a não ação das forças de segurança por falta de amparo legal.
A última vítima da recente onda de crimes com facas no Rio de Janeiro foi o estudante Pedro Artur Britto Santa Cruz, de 18 anos. O jovem foi esfaqueado dentro do trem, na zona norte do Rio, no último sábado (30). Ele foi socorrido no Hospital Salgado Filho e apresenta estado de saúde estável.
No entanto, o caso mais grave registrado foi o do médico Jaime Gold. Ele foi morto durante assalto, no dia 19 de maio, quando pedalava na Lagoa Rodrigo de Freitas.
Roubo de bicicletas
A Alerj também vota hoje o projeto de lei que cria um sistema estadual contra o roubo e comércio ilegal de bicicletas. Caso seja aprovado, o PL 444/15 será enviado para a sanção do governador Luiz Fernando Pezão.
O projeto tem nove artigos, prevê a tipificação do crime de roubo de bicicletas nos boletins de ocorrência, para subsidiar estatísticas, e a criação de um cadastro estadual de bicicletas recuperadas. A proposta incluiu também o estímulo à identificação de bicicletas pelos proprietários e a obrigatoriedade das lojas fornecerem a nota fiscal com o número de série dos equipamentos.
De autoria dos deputados Martha Rocha (PSD) e André Ceciliano (PT), a proposta uniu projetos dos dois parlamentares com sugestões feitas pelo presidente da Comissão de Segurança no Ciclismo da Cidade do Rio, Rafael Pazos, em encontro realizado na Alerj.
 
TV RIO ALERTA © 2012-2018 |:Rio Alerta Comunicação Rj