Suspeito de esfaquear estudante em trem levava vida de ostentação; irmão ajudou nas investigações

terça-feira, 2 de junho de 2015


Redação Rio Alerta notícias

O rapaz preso por esfaquear e roubar um estudante dentro de um vagão do trem, em Quintino, confessou o crime. 


Segundo a delegada que investiga o caso, Cristiane Carvalho Almeida, da unidade de Piedade (24ª DP), Michael Douglas Gonçalves Silva, de 19 anos, ficou perturbado ao ver sua foto circular pela internet. 

Ele teria perambulado pelo centro da cidade. O irmão de Silva auxiliou os agentes a localizá-lo. A titular afirmou que, apesar de ambos serem da mesma família, o irmão dele é de boa índole.

O assaltante declarou que é usuário de cocaína. Ele raspou a cabeça e deixou o bigode crescer na tentativa de se esconder da polícia. A delegada acredita que Silva tenha praticado os roubos para financiar uma vida de ostentação. 
O rapaz foi encontrado na casa da avó, em Comendador Soares, Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, usando uma camisa e um casaco de marca. 
Em depoimento, o homem alegou que roubou o celular para pagar uma ultrassonografia, já que sua namorada que está grávida.
— Não acreditamos que ele pratique crimes para o sustento do vício, e sim para uma vida ostentação. O seu foco é o roubo de celular. Ele confessou que vendeu o celular por R$ 300 no centro do Rio.
De acordo com Cristiane, as questões que envolvem os delitos cometidos pelo rapaz vão além da polícia. Ela afirmou que o pai de Silva faleceu, a mãe está hospitalizada e um tio está preso.
— Em um caso como este, o problema é maior. Não é problema policial, e sim um conjunto de muitos problemas sociais, porque antes de vir o problema policial, vem muitos problemas sociais. Apesar de ter praticado o crime, ele tem um irmão de boa índole que estava nos ajudando nas investigações.
A delegada informou que a vida criminosa de Silva começou aos 17 anos. Ele ficou preso em 2014 por seis meses, mas foi solto em novembro. 
A polícia vai averiguar o caso. Se condenado por tentativa de latrocínio, o homem pode pegar até 15 anos de detenção.
A prisão foi resultado de uma parceria entre as delegacias de Piedade (24ª DP) e de Nova Iguaçu (56ª DP). O delegado Jorge Zara informou que a ampla divulgação na imprensa e o trabalho interno das duas delegacias levaram até o endereço onde Silva estava. 
 
TV RIO ALERTA © 2012-2018 |:Rio Alerta Comunicação Rj