Taxistas vão parar 24h contra Uber e aplicativos

domingo, 12 de julho de 2015

Redação Rio Alerta notícias

Taxistas do Rio farão paralisação na próxima sexta-feira, em protesto contra motoristas particulares do Uber e de aplicativos semelhantes. Os profissionais dizem que estão tendo prejuízo crescente diante do serviço, que consideram ilegal. 

Em reunião com cerca de 500 pessoas ontem, no Clube Boqueirão, na Glória, os taxistas resolveram entrar em greve para chamar a atenção não só da população, mas também das autoridades. A intenção é chegar a um acordo com a prefeitura para resolver os problemas que a pirataria tem causado aos motoristas legalizados pelo município. 

“Não tem um órgão que fiscalize essas práticas. Isso tem tirado o nosso trabalho”, reclama o taxista Fábio Alves Oliveira, de 30 anos. “Carros com placa cinza, sem autorização para transporte de passageiros, estão sendo usados pelos cadastrados do Uber. 

Eles chegam nos eventos, tirando o espaço de quem é legalizado e tem placa vermelha registrada (relativa a veículos de transporte de passageiros)”, explica. 

Para o dia da paralisação também são previstas carreatas, partindo de vários pontos da cidade, como Ilha do Governador, Realengo, Barra da Tijuca, Gávea e Centro. Os carros partirão em direção ao Clube Boqueirão, onde haverá nova reunião da classe. “Nossa luta é não só contra a prática ilegal de aplicativos como o Uber. 

Lutamos contra todo o tipo de pirataria na área”, destaca Fábio. Embora a desvantagem da concorrência atinja a totalidade dos legalizados, nem todos são a favor da paralisação. Já insatisfação é unânime. “Não concordo em parar.

Mas é preciso buscar uma solução sim. Para se ter uma ideia, temos que fazer cinco vistorias por ano, pagamos carga tributária e seguro mais caro. Aí vem um cara que não paga nada disso e tira o nosso trabalho", diz o taxista Vitor Abreu, 30. 

O polêmico Uber é uma empresa americana, que, através de aplicativo homônimo, oferece serviço parecido ao de um táxi em centenas de cidades brasileiras e dezenas de países. 

A diferença é que qualquer um pode ser motorista do Uber, sem se preocupar em legalizar seu veículo para fins de transporte de passageiros, como é exigido aos taxistas. A presença dos aplicativos tem preocupado sindicatos e empresas do setor em todo o país. 

Táxis do DF em guerra com aplicativos Não é só no Rio de Janeiro que o uso de aplicativos tem gerado confusão e prejudicado taxistas tradicionais. Na semana passada, taxistas do Aeroporto de Brasília atacaram um funcionário de uma agência de turismo, ao confundí-lo com um motorista do aplicativo Uber. 

Ele fora ao terminal buscar o cantor Sérgio Reis para um show na cidade. As imagens do circuito interno do aeroporto mostram quatro taxistas abordando um homem vestido de terno no setor de desembarque e com mochila nas costas. Os taxistas gritam “Some daqui! Vai embora” e “Pega teu carro e some”. 

No final de junho, a Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou um projeto de lei que proíbe que motoristas sem licença de taxista ofereçam transporte pago em apps como o Uber. 

O texto ainda vai à sanção do governador do DF, Rodrigo Rollemberg. Mudanças no trânsito da Brasil 

A Avenida Brasil sofre interdições desde a madrugada de ontem para a demolição da passarela 8, na altura da rua 17 de Fevereiro, em Entre sexta e sábado, as duas pistas centrais da via no sentido Zona Oeste ficaram fechadas. Este não é o único transtorno experimentado pelos motoristas que trafegam pela via. 

Na noite de hoje, das 22h às 4h, as pistas centrais da Avenida Brasil ficarão fechadas nos dois sentidos entre as passarelas 4 e 12, nos bairros de Ramos e Benfica. Os motoristas devem utilizar as pistas laterais. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura, painéis com mensagens vão orientar os motoristas.
 
TV RIO ALERTA © 2012-2018 |:Rio Alerta Comunicação Rj