Câmeras acabam com as ‘carteiradas’ na Lei Seca

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017


Redação Rio Alerta


Desde que a Operação Lei Seca passou a filmar as abordagens, as tentativas de "dar carteirada" acabaram. 


Antes mesmo de autoridades, celebridades e afins exigirem algum privilégio ou vantagem em razão do cargo, profissão, condição financeira ou social, os agentes vão logo informando que a blitz está sendo gravada, o que desestimula a condenável prática do "sabe com quem está falando", segundo o coordenador da Lei Seca, coronel Marco Andrade.

"A sociedade tem que rever seus hábitos. 
O agente da Lei Seca é um servidor público e merece ser tratado com respeito", defendeu Andrade. 
A filmagem das abordagens começou em agosto. São cerca de 50 câmeras de pequeno porte acopladas ao colete dos agentes e uma outra, um pouco maior, monitora toda a movimentação na tenda, onde os documentos do motorista abordado são checados e onde é realizado o teste com o bafômetro.
As câmeras ainda captam o áudio interno e externo da tenda. 
As imagens geradas são monitoradas, em tempo real, por uma central 24 horas que funciona no prédio anexo do Palácio Guanabara. 
Através de um aplicativo, o coordenador da Lei Seca também pode acompanhar o desenrolar da Operação de qualquer lugar.
Andrade destaca que a filmagem também permite aferir a qualidade do serviço e pode ser usada para treinamento da equipe, caso seja identificada alguma falha no procedimento. 
"As câmeras dão mais transparência aos nossos procedimentos. Caso exista alguma divergência, as imagens são devidamente analisadas. Elas são 'os olhos' da Lei Seca", afirmou. A gravação fica armazenada por cinco anos. 

Operações vão ser intensificadas 
A Operação Lei Seca vai intensificar, a partir de amanhã, as ações durante as festas de fim de ano. 
No total, serão realizadas 98 operações no período do Natal e do Réveillon. Além da capital e região metropolitana, a Lei Seca também promoverá ações no interior do Estado. 
"A chegada do fim de ano é um bom momento para refletir sobre nossas atitudes. Além de um problema de saúde pública, a segurança no trânsito é responsabilidade de todos, e, neste sentido, o Rio de Janeiro vem dando bons exemplos ao país", disse o coordenador da Operação Lei Seca, coronel Marco Andrade. 
Segundo ele, o número de pessoas flagradas alcoolizadas ao volante reduziu 43% desde que a operação foi iniciada, em 2009. 
Levantamento da Escola Nacional de Seguro revela que a Lei Seca ajudou a salvar 40 mil vidas em todo o Brasil.
 
TV RIO ALERTA © 2012-2018 |:Rio Alerta Comunicação Rj