Estreia do projeto Rio + Seguro não registra prisões

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017
Agentes do projeto Rio + Seguro circulam na orla de Copacabana

Redação Rio Alerta


Não houve prisões no primeiro dia do projeto Rio + Seguro. 


O programa que prevê um reforço no combate à violência ocupou a orla de Copacabana e do Leme com 280 agentes da Guarda Municipal e da Polícia Civil, durante todo o domingo. 

Apenas nove abordagens foram registradas pelas autoridades, no entanto. 

Na estreia da ação lançada por Marcelo Crivella, a equipe se deteve em fiscalizar práticas esportivas irregulares na areia e apreender produtos comercializados sem autorização, além de “monitorar suspeitos”, como detalha o material divulgado para a imprensa. 

“A presença de tantos agentes inibiu os criminosos”, relatou um representante da Secretaria municipal de Ordem Pública (Seop). 

Em parceria com o órgão, a Secretaria municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) abordou cerca de 80 moradores de rua, encaminhando 12 para o conselho tutelar e abrigos públicos.

Em entrevista a jornalistas na manhã deste domingo, o prefeito ressaltou que a intenção é cercer a criminalidade no bairro onde há maior número de turistas. 
A previsão, em seguida, é ampliar o projeto para outros locais.
— Copacabana é a vitrine do Rio. 
É por onde chegam os turistas, e os índices aqui são bem mais altos do que os de Ipanema e do Leblon. 
Mas estamos vigiando e se houver qualquer efeito colateral vamos estender para lá também nossas rondas — prometeu Marcelo Crivella, sem revelar prazos.
 
TV RIO ALERTA © 2012-2018 |:Rio Alerta Comunicação Rj