Acusado em 70 processos, médico foi encontrado morto

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018
Fernando Lamy era ortopedista e foi cassado pelo Cremerj. Havia pelo menos oito óbitos e dezenas de mutilações atribuídas a ele

Redação Rio Alerta


Ortopedista cassado pelo Conselho Regional de Medicina (Cremerj), com pelo menos oito óbitos e dezenas de mutilações atribuídas a ele, Fernando César Lamy Monteiro da Silva, de 50 anos, foi encontrado morto em uma casa em Araruama, na Região dos Lagos, no dia 1º de outubro de 2017. 


As circunstâncias da morte ainda são um mistério e estão sendo apuradas pela Polícia Civil. 

Lamy, que chegou a ser preso em 2014, depois de uma série de matérias feitas pelo DIA, respondia em liberdade, conforme o Tribunal de Justiça (TJRJ), a 70 ações nos Juizados Especiais Criminais, Cíveis, de Família, e Dívida Ativa.

O reconhecimento do corpo foi feito pela irmã, Andreia, no Instituto Médico-Legal, mas o TJ ainda não tinha sido informado até a semana passada, por alguma das partes envolvidas em processos, segundo a assessoria da instituição.
Pelo Facebook, Lamy, acusado por testemunhas de ter operado pacientes supostamente drogado ou alcoolizado, dava sinais de que buscava tratamento em irmandades como AA (Alcoólicos Anônimos) e NA (Narcóticos Anônimos). 
A morte do ortopedista surpreendeu as supostas vítimas e seus parentes.
"Infelizmente, ele buscou esse caminho. Vai ter que prestar muita conta a Deus", desabafou Suely Gomes, de 61 anos, que ficou inválida depois de um procedimento malsucedido nas mãos de Lamy, contra artrose de coluna, em 2012, no Hospital do Amparo. "Passei a usar fraldas e tenho depressão", lamenta.
 
TV RIO ALERTA © 2012-2018 |:Rio Alerta Comunicação Rj