Ministério Público pede interdição da Ciclovia Tim Maia

sábado, 17 de fevereiro de 2018
Cerca de 30 metros da Ciclovia Tim Maia, em São Conrado, cederam por causa de uma erosão provocada pela infiltração da água da chuva

Redação Rio Alerta


O Ministério Público Federal (MPF) quer a interdição da Ciclovia Tim Maia, até que toda a via seja reavaliada em procedimento de licenciamento ambiental corretivo. 


Na manhã de quinta-feira, um trecho de 30 metros da via, na altura de São Conrado, na Zona Sul, desabou em consequência da forte chuva que caiu no Rio desde a madrugada. Essa foi a segunda vez que um trecho da via desaba. 

A outra foi em abril de 2016, provocando duas mortes, em um trecho na Avenida Niemeyer. 

Em 2016, o MPF já tinha solicitado a interdição por meio de ação civil pública. 

Agora, no pedido de liminar encaminhado à Justiça Federal, a procuradora da República Solange Maria Braga Dias, indicou que, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, a interdição permaneça até concluída a avaliação, com exceção do trecho entre o Vidigal e o Leblon, que já existia antes da construção da via e depois foi incorporado ao projeto. 

Solange Braga apontou a necessidade de urgência para que o município do Rio de Janeiro e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) não permitam a utilização da ciclovia Tim Maia. 

A procuradora destacou, ainda, que o Serviço de Alerta do Município não funcionou para realizar o fechamento prévio da ciclovia e que o trecho foi interditado pela Prefeitura do Rio apenas uma hora após o desabamento. 

“Desta forma, menos de dois anos após o desastre ocorrido em 2016, o município do Rio de Janeiro mostrou-se incompetente para garantir a segurança dos ciclistas e pedestres que transitam na Ciclovia Tim Maia”, disse. 

A decisão sobre a concessão da liminar será da 19ª Vara Federal do Rio de Janeiro.
 
TV RIO ALERTA © 2012-2018 |:Rio Alerta Comunicação Rj