Malabarista preso em sítio com milicianos deixa Complexo de Gericinó

domingo, 22 de abril de 2018
Pablo se emociona ao reencontrar a mulher na porta do presídio

Redação Rio Alerta


O artista circense Pablo Dias Bessa Martins, de 23 anos, deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó às 15h de sábado, após passar 14 dias preso e quase 48 horas depois do alvará de soltura ter sido emitido. 

Ele é acusado de fazer parte de uma milícia e foi preso com outras 159 pessoas no sítio Três Irmãos, em Santa Cruz, durante um pagode que, segundo a polícia, teria sido organizado por um grupo de milicianos. Todos estão respondendo pelo mesmo crime. Pablo foi o primeiro a deixar a cadeia.

O artista foi recebido pela esposa, a também artista circense Jessica Carla Barbosa da Silva, e não segurou as lágrimas. "Entrei com minha irmã e minha mulher (na festa), tinha revista de segurança de mulheres e de homens. Se tivesse algo que não pudesse, eles veriam e acho que tirariam. 
E se eu visse algo (proibido) lá dentro eu iria sair", afirmou Pablo na saída do presídio.
A expectativa da Defensoria Pública agora é em relação ao julgamento dos pedidos de liberdade também feitos para outros 39 presos assistidos pela instituição.
"O juiz só analisou a situação do Pablo. Quando a gente apresentou a petição, pontuamos que diversas daquelas pessoas tinham emprego fixo, portanto necessitavam de urgência naquela análise porque poderiam perder o emprego. 
Mas a situação do Pablo tem uma especificidade, porque ele tem um voo marcado para o dia 24 de abril. 
O juiz teve a sensibilidade de entender que, se ele não fosse solto, poderia afetar a relação de trabalho que ele tem no exterior”, afirmou Ricardo André de Souza, subcoordenador de defesa criminal da Defensoria e um dos defensores do caso.
 
TV RIO ALERTA © 2012-2018 |:Rio Alerta Comunicação Rj