Bretas substitui prisão domiciliar de Adriana Ancelmo por uso de tornozeleira

terça-feira, 28 de agosto de 2018
Adriana Ancelmo

Redação Rio Alerta


O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal Federal do Rio, liberou a ex-primeira-dama do Rio Adriana Ancelmo da prisão domiciliar. 


Ela poderá sair durante o dia, mediante uso de tornozeleira eletrônica, e terá que se recolher em casa durante as noites e aos finais de semana.

Adriana foi condenada a 18 anos e três meses de prisão por Bretas em setembro do ano passado, pelos crimes de lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa. 

Desse período será descontado o tempo que ela já passou na cadeia e na prisão domiciliar. Adriana foi presa em novembro de 2016, pouco depois de seu marido, o ex-governador Sergio Cabral (MDB), por sua vez, já condenado a 100 anos de prisão, por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa e evasão de divisas. 

A ele é atribuído um grande esquema de corrupção que vigorou durante seus dois mandatos no Estado (2007-2014), com movimentação de mais de R$ 1 bilhão e cobrança de propina e superfaturamentos em áreas como transporte, obras e saúde. 

As investigações são desdobramentos da Lava Jato no Rio. 

Adriana passou à prisão domiciliar, no Leblon, zona sul da capital, depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) acolheu pedido que alegava que ela tem dois filhos menores, que já estavam sem o pai em casa.
 
TV RIO ALERTA © 2012-2018 |:Rio Alerta Comunicação Rj